Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Micropaisagem

Micropaisagem

27
Jun17

Uma tribo de dois

Ao assistir ao fenómeno das claques nas caixas de comentários, e nas conversas em que participo, sinto que nasci incompleto. Defendem-se clubes, partidos, religiões, assuntos das notícias, raças e ideologias de um modo tribal ao qual sou, infelizmente ou não, autista.

Na infânica, enquanto os outros miúdos idolatravam jogadores de futebol (Chalana, Manuel Fernandes ou o Gomes, por exemplo) eu achava-os a todos só excelentes jogadores. Quando na adolescência, por causa da música, muitos se vestiam de determinado modo, ou tinham os quartos e cadernos repletos de posters e fotografias, eu nunca dei esses passos, apesar da música ser tão importante para mim. Já adulto, a política e o futebol são os campos de devoção que me escapam. Impressionam-me os idiotas úteis a defender partidos por ideologia, ou simples tacanhez mental, e alienados a considerar o seu clube como religião. Mas a verdade e que, se fico estupefacto porque me parecem estar nesses comportamentos as raízes de muitos dos males da humanidade, também sinto que me falta essa parte, esse defender sem ligar à razão. Tenho o meu clube e tenho simpatia por uma ideologia, mas sem essa noção de pertença.

Após refletir algum tempo sobre isto, penso que terá existido uma exceção: Jesus Cristo. Já não frequento a Igreja há mais de 20 anos e não me considero católico ou protestante, mas o facto é que a virtude de Jesus me marcou de tal modo que ainda hoje é o meu modelo de vida. Ele é o meu ídolo. Sei-o porque acho quase insuportável ouvir falar contra ele ou teorias que colocam em dúvida a sua existência. Quando se trata de o insultar diretamente, apetece-me chorar de raiva. Não chegando ao ponto de querer discutir o assunto ou defendê-lo, se o diálogo não é possível, afasto-me como me afastaria se alguém estivesse a magoar alguém que amo com palavras.

Talvez eu não seja assim tão diferente, afinal de toda a gente. Aconteceu-me foi a fasquia estar o mais alta possível e ninguém, qualquer organização ou ideologia conseguirem lá chegar. No fundo, talvez tenha a mesma arrogância que todos, só não a consigo, ou quero, partilhar. Afinal, trata-se de uma tribo de dois.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D